sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

 Depois de muito tempo, resolvemos reabrir esse espaço pra fazer os famosos textões sobre BBB, que vocês sempre curtiram. Dessa vez será sem compromisso, faremos apenas quando bater aquela vontade de fazer uma análise sobre o jogo ou uma determinada situação.

 BBB16 começou e já temos um twist, que não é novidade, mas que ainda deixa a gente em dúvida por não conhecermos ninguém a fundo. Teremos que escolher dois de quatro candidatos, a se juntar aos doze participantes oficiais do BBB16, sendo um homem e uma mulher. Mas eis a questão: Quem?

 Como a internet é quase unânime a favor da Dona Geralda (vulgo Palmirinha), não iremos focar nela ao longo desse texto, porque a vaga é praticamente garantida.

 Do outro lado temos Matheus e William (vulgo Catra), concorrendo a vaga masculina. E eu gostaria de desenhar o meu posicionamento a favor do mineiro, e desconstruir algumas coisas que estão sendo ditas na internet a respeito de quem defende a entrada dele:

   O Matheus é bonito sim, inicialmente foi o que me chamou atenção sim, sem hipocrisia, como em qualquer lugar que vejo alguém de boa aparência. Mas depois do efeito inicial, sempre procuro saber se é uma pessoa interessante e não é uma pessoa vazia. Quem me conhece sabe que nunca fui fã de beleza sem conteúdo, inclusive em reality show já olho com um pé atrás, porque o histórico não favorece. Mas, nele notei uma simpatia e uma postura de gente leve e desapegada que só está afim de se divertir, como Adélia, por exemplo. Sem parecer um mala sem alça, como o seu concorrente.

 

  A princípio também não curti muito o fato dele ter citado a tragédia de Mariana ao vivo, mas depois vi que ele realmente VIVEU a tragédia, foi uma das vítimas (tem fotos e vídeo, é só procurar) e então entendi o porquê de ter abraçado a causa. Se ele vai ajudar ou não se ganhar o programa, não me interessa, porque primeiramente não estou torcendo pra ele ganhar ainda e sim pra ele entrar no jogo, e "segundamente", nunca votei em ninguém pra ganhar reality show por condições financeiras ou causas externas e sim por merecimento refletido em 3 meses de jogo, convivência e entretenimento. Então, isso é cena pros próximos capítulos, só nos resta aguardar antes de sair por aí tentando prever o futuro como se conhecesse a pessoa há muito tempo, pegado no colo, mandado o último scrap no Orkut.


  Tá apelativo a tentativa de fazer o barro de que ele é Cowboy acontecer. Colocar um chapéu na cabeça pra gravar uma chamada regionalista não te torna Cowboy. Da mesma forma que ir a caráter a uma festa junina também não te torna. Não é difícil perceber que ele leva uma vida urbana stalkeando as redes sociais. Além de não ter/forçar nenhum sotaque carregado pra parecer humilde. Tá feio usar isso pra comparar com outros participantes como se fossem muito iguais, porque não são e a maioria que canta essa bola pra tentar prejudicar, sabe disso.

   Não faz o menor sentido o discurso de "se ele ficar ele vai ganhar" por: (1) temos apenas QUATRO dias de jogo. (2) Se as pessoas tivessem realmente se sensibilizado com a causa dele, a votação não estaria aparentemente apertada e as redes sociais divididas, não é unanimidade e está longe de ser. (3) Já que elaboraram essa teoria que ele vai ganhar o BBB "por ser cowboy" (coisa que num é), "pobrinhos" moradores de comunidade também já venceram o programa. Então são dois pesos e duas medidas, pois o seu concorrente também se encaixaria no perfil de vencedor, assim como muitos outros da casa. É absolutamente IMPOSSÍVEL prever qualquer coisa tão cedo.

  Agora falando sobre o que pude perceber no ppv e que realçou a minha preferência: William, Catra, Bola, Blackout é daquelas pessoas facilmente enjoáveis em pouco tempo de convivência, que te irrita pelo excesso e inconveniência. Tipo aqueles tios chatos que não sabem controlar a a hora da piadinha e a hora de falar sério. Além de ter já ter dado uma super mancada dizendo que dá beliscões nas filhas e chuta gatos. Não é muito dificil imaginar a quantidade de informações novas e desagradáveis possa vir por aí caso ele fique. Provavelmente, aliado ao clube da "MACHOLÂNDIA" - Daniel, Allan, Laércio e Ronan (definição feita pelos próprios). Além do mais, quem acompanha o ppv está percebendo que no segundo dia ele quase não tem feito esforço pra mostrar a que veio e merecer ser votado.


 Em contrapartida, Matheus já formou uma possível dupla promissora pra edição com a maravilhosa Palmirinha (Dona Geralda) e está bem interessante acompanhar a relação dos dois no ppv, como de um neto arteiro e uma vó moderna. Além de observar um potencial pra disputar a preferência das mulheres da casa, uma possível rivalidade com o outro bonitão da casa por aquela famosa briga de egos (Oi Yuri e Jonas), e claro, dar o que falar nas festas já que pelas redes sociais podemos concluir que essa é a praia dele.


 Então, pesando na balança a união de fatores que PODEM movimentar o jogo, Dona Geralda e Matheus me parecem os perfis mais apropriados pra isso. Abandonem essa essa generalização com discurso de torcer somente por beleza, porque isso não faz parte da minha realidade e acredito que de muitos outros que estão lendo isso.


 Lembrando que pela carência de bolas de cristais, só o que podemos fazer no momento é OBSERVAR e TEORIZAR, até chegar a alguma conclusão, que também pode ser falha, afinal, ninguém conhece ninguém em 2/3 dias. Posso errar, posso mudar de opinião caso entre meus preferidos e eles não me agradem tanto lá dentro, me permito isso SEMPRE e estou sempre aberta pra desconstruir opiniões sobre pessoas que não conheço.





0 comentários:

Postar um comentário

# Compartilhe